Aprender através das experiências de mulheres que vivem com doenças crónicas e melhorar a prestação de cuidados de saúde

 

 

Situação actual

A Suíça dispõe de um sistema de saúde de qualidade. Mesmo assim, o acesso à oferta de cuidados é limitado para certos grupos da população. Assim, mulheres migrantes utilizam determinados serviços de saúde menos frequentemente que o resto da população (por exemplo, as medidas de rastreio) embora sofram mais frequentemente de doenças crónicas. Até agora, as experiências práticas das pacientes afetadas foram raramente integradas nas abordagens deste problema. As mulheres tiveram um papel de menor importância no desenvolvimento de soluções.

 

Como se desenrola o estudo ?

Esta pesquisa reúne e analisa as experiências de utilisação de serviços de saúde vividas por mulheres que sofrem de doenças crônicas. Para alcançar este objectivo, entrevistas serão realizadas com mulheres de origem alemã, portuguesa, turca e também suíça. A entrevista dura cerca de 90 minutos. As mulheres escolhem o local do encontro. As entrevistas serão gravadas para fins de investigação e tornadas anónimas. A entrevista será conduzida pour uma pesquisadora na língua do país de origem da participante.

As entrevistas em português serão conduzidas por Luna de Araujo. Luna de Araujo é etnóloga doutorando em sociología na Universidade de Genebra. Ela é membro do grupo de pesquisa que conduze este estudo.

 

Por que conduzir tal estudo ?

O objectivo do estudo é mostrar como as mulheres que vivem com doenças crónicas experimentam, compreendem, interpretam e utilizam o sistema de saúde suiço. Novas abordagens para melhorar o acesso aos serviços de saúde serão desenvolvidas com a ajuda desses novos conhecimentos, e com a participação das pacientes.